Tão logo se vai

Tão logo se vai minhas dores,
Estiradas em mastros lusitanos,
Para além-mar dos cantores,
Embelezando-as com caetanos.

Tão logo se vai minha sede,
Incessante na alma embebida.
É algo como peixe na rede,
Debatendo-se pela vida.

Tão logo se vai meus olhos,
Não vejo além de meus passos,
Limitados pelos abrolhos,
Erigidos pelos fracassos.

Tão logo se vai minha flor,
Perdida no campo estrelado,
Fiz das ramas teu clamor,
Adorando o desbotado.

Tão logo se vai minha vontade,
Incapaz de ser diferente,
De soslaio com a vaidade,
Anseia em ser valente.

Tão logo se vai meu amor,
Deixou-me enquanto dormia,
Recostou-se na minha dor,
Sem saber que para ti sorria.

Tão logo se vai,
Assim, me vou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: